A Terra Prometida


A região que a Rainha Korinthia está determinada a conquistar é dominada por Davokar, uma floresta que, sozinha, é tão variada quanto um continente. Atravessar a mata de Forte do Cardo até sua fronteira norte demoraria semanas, se não meses, e no caminho alguém teria que enfrentar bestas, assim como elfos hostis, abominações contaminadas e a natureza traiçoeira.

Ao sul de Davokar tem-se uma extensa planície fértil com colinas suaves. Onde elas não são aradas pelos fazendeiros ambrianos, são cobertas por uma grama verde clara ou pequenos arvoredos onde pássaros e bestas das terras baixas encontram abrigo. Esta é Ambria, um reino dividido em sete ducados cercando um domínio governado pela Igreja de Prios, o Deus Sol e o Impositor das Leis. O Grande Ducado de Korinthia é, de longe o maior, assim como a cidade capital de Yndaros é maior do que o Forte do Cardo, Ravenia e a sede da Igreja do Sol, Muralha do Templo.

A região é pontilhada por grandes montanhas em dois lados – as selvagens e majestosas Titãs ao sul; e a leste estão os Corvos que vão ficando mais altas e íngrimes quanto mais pro sul se viaja. Tirando por algumas colônias de mineração e o monastério dos Frades do Crepúsculo ao sul de Yndaros, os ambrianos ainda não estabeleceram nenhum assentamento notável nas montanhas. Ao invés disso, elas se tornaram um refúgio para salteadores, pensadores livres e bárbaros rebeldes. E quanto ao reino anão de Küam Zamok, seus habitantes parecem ser indiferentes aos humanos, com a exceção de poucas famílias que, por razões desconhecidas mas amplamente discutidas, se assentaram em Yndaros.

O clima é mais frio e mais úmido comparado ao que os ambrianos estão acostumados. Os ventos úmidos dos oceanos ao sul escalam as Titãs e não mostram o menor pudor em afogar Ambria em chuvas pesadas, especialmente durante o outono. Os invernos são gelados, com neve cobrindo as ruas de Yndaros por um ou dois meses, ou até mais, durante os invernos que os bárbaros chamam de Istaros, quando os ventos árticos sopram do norte, que são tão frios que lareiras que acabam apagando dificilmente conseguem voltar à vida e o sangue congela nas veias de qualquer um que ouse se aventurar ao relento por mais tempo que o necessário para pegar mais lenha.

Ainda este ano, Symbaroum estará iniciando seu financiamento coletivo!

O livro está totalmente traduzido e irá para revisão no início de Novembro. Mais um jogo com a qualidade que vocês esperam de nós, em um mundo e sistema totalmente novo e intrigante.

Quem quiser saber mais, acompanhar o projeto, andamento e ter mais informações, pode assinar nosso informativo ou fazer parte do grupo sobre o jogo O Pacto de Ferro (Symbaroum Brasil) no Facebook.